Meninos Tailandeses sobrevivem na caverna
06/07/2018 09:56 em Fé

THAILAND ACCIDENT CHILDREN CAVE

A resiliência e a imensa vontade de viver dos garotos têm comovido o mundo

 

Os meninos tailandeses desaparecidos protegeram seus olhos diante da luz das lanternas dos profissionais britânicos que os localizaram. O resgate finalmente conseguiu chegar até onde os garotos se abrigaram, a um quilômetro de profundidade, num estreito sistema de cavernas ao norte da Tailândia.

Extremamente abatidos e com fome, os 12 meninos estavam na caverna inundada há mais de 11 dias e foram filmados pela equipe de resgate. As imagens foram vistas milhões de vezes no mundo inteiro.

Uma das primeiras frases que pode ser ouvida no vídeo é pronunciada por um dos adolescentes: “Estou muito feliz”. E o socorrista responde: “Nós também estamos muito felizes”. E os meninos agradecem.

Certamente a gratidão e a resiliência são dois valores muito presentes nestes meninos, que estão vivendo um momento dramático.

A resiliência é a capacidade que todo ser humano tem de enfrentar as dificuldades, os problemas e as adversidades da vida, superando-as e transformando-as. Esses garotos deram uma boa lição de resiliência!

Agora, vem o difícil trabalho de garantir a eles o apoio físico e psicológico para que possam enfrentar a incerteza sobre o resgate, que está muito complicado. Ainda não se sabe quando este pesadelo terá fim.

Por isso, é necessário que eles possam satisfazer suas necessidades físicas e psíquicas. É importante, de um lado, contar com água potável, alimentos e roupa. O frio, a fome e a desidratação podem levar a um mau funcionamento do cérebro e prejudicar a tomada de decisões.

Porém, o mais importante é contar com o apoio afetivo dos familiares e da equipe de resgate. Sentir o afeto de quem sofre com eles esta tragédia será o principal motivo para que eles não deixem de lutar.

Se conseguirem se adaptar ao ambiente e não encararem a situação como um risco que ameaça suas vidas, os adolescentes se sairão bem.

Além disso, as orações também ajudam, pois, no fim das contas, nossas vidas sempre estão nas mãos da Divina Providência. Tomara que o jovem treinador tenha a brilhante ideia de motivar o grupo com uma espontânea e constante oração pela sobrevivência de todo o grupo.

 

Fonte: Aleteia

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!