Bispos do Paraná farão Visita Ad Limina em Fevereiro
23/01/2020 19:46 em Igreja

 

 

De 17 a 27 de fevereiro, o arcebispo dom Geremias Steinmetz, juntamente com os bispos do Paraná, fará a Visita Ad Limina Apostolorum, em Roma. Nesses dias, os bispos estarão às portas das Basílicas dos Apóstolos para celebrar junto ao Sepulcro de São Pedro e São Paulo e visitar o  o Papa Francisco, sucessor de Pedro, bispo de Roma. Sinal de unidade com a Igreja de Jesus Cristo. Os bispos também visitarão os vários dicastérios do Vaticano, que são departamentos de ajuda ao Papa.

Trata-se de uma atividade, prevista pelo Código de Direito Canônico (399-400), que os bispos, organizados por regionais ou países, realizam a cada cinco anos, a fim de manifestar a comunhão com o Papa e revigorar a fé e a própria responsabilidade de sucessores dos Apóstolos. A última visita Ad Limina dos bispos do Paraná, no entanto, aconteceu há quase 10 anos, de 3 a 13 de novembro de 2010. Colaborou para que esse intervalo de tempo entre as visitas fosse maior, a troca dos pontífices, em 2013, e tantos outros compromissos e situações da vida eclesial. 

Nesse período, a Igreja do Paraná também passou por diversas mudanças no pastoreio de suas dioceses, por isso, para 10 dos 22 bispos que realizarão a visita, será a primeira vez. Entre eles, o arcebispo de Londrina e presidente do Regional Sul 2, dom Geremias Steinmetz, que foi ordenado bispo em maio de 2011, e diz ser um momento de grande expectativa. “Primeiro pelo encontro com o Papa. Depois, por voltar às raízes da fé, aos locais onde os apóstolos entregaram a vida por causa da fé, sendo martirizados. Foi nesses lugares que a fé floresceu nos primeiros tempos da Igreja e a partir dali que nós tivemos a possiblidade de receber a fé”, disse dom Geremias. O arcebispo de Londrina, como presidente do Regional Sul 2 da CNBB, será o responsável pela saudação e fala ao Papa Francisco em nome dos bispos.  

 

A preparação 

Os dez dias de visita Ad Limina são precedidos por um longo período de preparação. Ao longo do ano de 2019, cada bispo se dedicou à tarefa de preparar um relatório sobre a caminhada de sua diocese, desde a última visita. Tal relatório já foi enviado, seis meses antes da visita, para a Congregação dos Bispos, que o apresentará ao Santo Padre para que possa tomar conhecimento sobre a realidade de cada Igreja particular. 

O relatório não é uma prestação de contas do bispo ao Papa sobre a diocese, mas sim um instrumento precioso para que o Papa, junto aos seus assistentes mais próximos, conheça a realidade da Igreja em todo o mundo e assim possa continuar a presidi-la na caridade. Além disso, preparar tal relatório serve até mesmo para o próprio bispo avaliar a caminhada de sua Igreja particular e auxiliar em sua programação pastoral. Para este trabalho de elaboração de um relatório de vários anos, o bispo conta com a ajuda de colaboradores competentes e de confiança. 

Além disso, a primeira e melhor preparação para a Visita Ad Limina é a espiritual. O “Diretório da Visita Ad Limina” a define como “um ato que todo bispo cumpre para o bem de sua própria diocese e de toda a Igreja, para favorecer a unidade, a caridade, a solidariedade na fé e no apostolado”. Diante disso, é necessário envolver toda a comunidade na reflexão e na oração por esse evento. 

“A visita Ad Limina tem como base a unidade, a comunhão e a sinodalidade, que significa caminhar juntos. Somos uma Igreja que fazemos um caminho juntos, não só os pastores com o pastor maior, o Papa, mas como povo de Deus a caminho. Com certeza levaremos todo o povo de Deus conosco, nas orações, nas partilhas, na exposição para o Papa Francisco sobre a caminhada das dioceses e contamos que todo o povo de Deus também nos acompanhará com a oração. Essa é a beleza da Igreja: estamos juntos e juntos vamos nos fortalecendo na fé, na esperança e na caridade”, explicou dom Amilton Manoel da Silva, bispo auxiliar de Curitiba e secretário do Regional Sul 2. 

 

Três momentos da Visita Ad Limina 

A programação nos dez dias de visita será extensa, seguindo os três momentos fundamentais, prescritos em diretório: a peregrinação ao túmulo dos Príncipes dos Apóstolos (Pedro e Paulo), o encontro com o Santo Padre e os contatos com os Dicastérios da Cúria Romana. 

A peregrinação e veneração ao túmulo dos Apóstolos Pedro e Paulo é uma devoção praticada desde os inícios do cristianismo. Tal prática foi assumida pelos bispos para expressar a unidade e a comunhão eclesial, dado que eles são, na Igreja hoje, os sucessores dos Apóstolos. “Em Roma, o apóstolo Paulo trabalhou na evangelização dos pagãos e Pedro, que foi para Roma ser um evangelizador, ali entregou a sua vida, morrendo crucificado. Esses dois baluartes da nossa fé precisam ser reverenciados ainda hoje por aqueles que os sucedem na condução da Igreja. Essa peregrinação nos leva à origem da fé”, afirma dom Geremias. 

O ponto alto da visita Ad Limina será o encontro com o Santo Padre, que os receberá em audiência na manhã do dia 24 de fevereiro. Na ocasião, antes de ouvirem o Santo Padre, o presidente do Regional Sul 2, dom Geremias Steinmetz, irá dirigir-lhe a palavra em nome de todos os bispos. “Num momento como este, para se dizer várias coisas é preciso que não se perca nenhuma palavra, nenhum gesto e, acima de tudo, nenhuma das boas intenções que temos aqui no Paraná para continuarmos servindo o Reino de Deus. É uma grande honra, nunca sonhei poder dirigir a palavra ao Santo Padre, ainda mais em nome dos bispos do Paraná”, diz dom Geremias. 

Por fim, os bispos irão celebrar nas Basílicas de Roma e visitar os vários dicastérios da Cúria Romana. Uma oportunidade de fortalecer a comunhão com a Santa Sé, conhecendo os direcionamentos da Igreja em seus diversos âmbitos de atuação.  

 

A comunhão da Igreja do Paraná 

A preparação e mesmo a própria visita é um evento que deve proporcionar a comunhão não só dos bispos com o Papa, mas também de toda a Igreja, todo o povo de Deus. Dessa forma, o Regional Sul 2 da CNBB quer envolver todos os fiéis de cada diocese na oração por seus pastores, pelo com êxito da Visita, a fim de que produza frutos de santidade para a Igreja. 

Neste período, os meios de comunicação, especialmente, as redes sociais digitais do Regional Sul 2, estarão concentradas em comunicar esse importante evento, a fim de fortalecer a comunhão e a unidade de toda a Igreja. Como primeiro ato, os bispos escreveram uma oração para que os fiéis rezem nas missas, encontros, reuniões e também individualmente por eles no tempo que antecede e que acontece a Visita. 

 

 

 

Oração pela Visita Ad Limina dos bispos do Paraná

 

Ó Deus, Pastor eterno, nós vos agradecemos pelo

dom da Igreja una, santa, católica e apostólica,

que é no mundo  um sinal visível do vosso amor.

Unidos, pela fé, às pessoas de todas as nações,

formamos um único povo, renovados em Jesus Cristo.

 

​Concedei ao nosso(s) Bispo(s) *dizer o nome*, a liderança do Bom Pastor,

para governar a nossa Diocese de *dizer o nome* em comunhão

com a Igreja de Roma, que a preside na caridade.

 

​Pedimos as luzes do Espírito Santo para os Bispos do Paraná,

nesse tempo de graça que é a Visita Ad Limina Apostolorum.

 

Em comunhão com eles, peregrinamos, espiritualmente, até Roma,

para venerar o Sepulcro dos Apóstolos e encontrar o Santo Padre,

que é o sucessor de São Pedro, a quem Jesus confiou a Igreja.

 

​Por Jesus Cristo, nosso Senhor, na unidade do Espírito Santo. Amém.

 

​(Rezar um Pai nosso, três Ave Marias e um Glória ao Pai)

COMENTÁRIOS